A guardiã da minha irmã ( Jodi Picout )

10:26:00



Nome: A guardiã da minha irmã
Autor:  Jodi Picout
Editora: Verus
Págs: 433
ISBN978- 85- 7686- 129- 4
Onde comprarSaraiva 
Sinopse: 

Concebida por meio de uma fertilização in vitro, Anna foi trazida ao mundo para ser uma combinação genética para a sua irmã mais velha, Kate, que sofre de leucemia promielocítica aguda. Aos 15 anos, Kate passa a sofrer de insuficiência renal. Anna sabe que se doar seu rim, ela terá uma vida limitada. Ciente de que terá de doar um de seus rins para sua irmã, Anna processa os pais para obter emancipação médica e direito sobre seu próprio corpo.

Cena do filme



Eu tive receio de ler esse livro, porque foi o livro que deu origem ao filme " Uma prova de amor" , do qual eu não assisti devido à muitas pessoas dizerem que ele é muito triste e que sempre acaba chorando no final.
Mas aí li " A menina de vidro" que é da mesma autora ( ainda não tem resenha ) e me encantei e resolvi ler .

Ele conta a história de Anna, ela é irmã mais de Kate e Jesse. Kate possui leucemia que desde pequena tenta vencer. Anna e Kate possui medula óssea perfeitamente compatível, o que faz a caçula ser a doadora perfeita.
Ela sempre quis ajudar a sua irmã, nunca questionou a decisão dos pais, até que um dia algo mudou. 
Ela resolve processar os pais, para que ela tenha direito nas escolhas sobre o próprio corpo. Se ela quer doar ou não um órgão, já que desde que nasceu ela já faz transfusões para irmã.

Desde o começo do livro eu sempre achei que entendia os motivos de Anna, mas num determinado momento do livro vi que não. Que é tudo completamente diferente. Eu também nunca gostei da mãe dela, a Sara, porque como a história é descrita, parece que ela faz distinção entre as duas filhas e eu não acho isso correto. Mas, mais uma vez eu me enganei enquanto a isso.
Também tem a questão do que a Kate quer, porque a vida inteira fizeram escolhas por ela e nunca perguntaram o que ela realmente queria.

E  foi um final muito inesperado, daqueles que fico refletindo depois da leitura, e me fez pensar sobre a vida. 
Quando diz que o filme faz chorar. Eu acredito que livro possa fazer ainda mais ( eu chorei muito ).
O que eu achei bacana no livro da autora foi que ela envolve uma parte de pesquisa bem bacana, sem contar que a história é narrada por diversos pontos.
Recomendo o livro, ele mostra uma lição e tanto de vida. 
Desde que li esses dois livros da autora, me tornei fã e quero ler mais obras dela.




Um pouco sobre a autora:
Jodi Picoult nasceu e cresceu em Long Island. Estudou Inglês e escrita criativa na Universidade de Princeton e publicou dois contos na revista Seventeen enquanto ainda era estudante. O seu espírito realista e a necessidade de pagar a renda levaram Jodi Picoult a ter uma série de empregos diferentes depois de se formar: trabalhou numa correctora, foi copywriter numa agência de publicidade, trabalhou numa editora e foi professora de inglês. Aos 38 anos é autora de onze best sellers e em 2003 foi galardoada com o New England Bookseller Award for Fiction.



"Ao contrário do resto do mundo, não cheguei aqui por acidente. E, se seus pais só tiveram você por um motivo, é melhor esse motivo existir. Porque, quando ele desaparecer, você vai desaparecer também."


"Houve algum erro. Foi o vidrinho de sangue infeliz de outra pessoa que a médica analisou. Olhe para minha filha, para o brilho de seus cachinhos revoltos e para o voo de borboleta que há em seu sorriso - esse não é o rosto de alguém que está morrendo aos poucos."



"Eu a conheço há dois anos. Mas se você pegar cada lembrança, cada momento, e colocá-los um ao lado do outro, eles se estenderão até o infinito." 


Trailer do filme
 "Ser pai é apenas uma questão de seguir as pegadas dos filhos, torcendo para que eles não se afastem tanto que você não consiga mais ver seus passos." 


"Agora que isso não é mais uma situação hipotética, me parece que um pai ou mãe só pode fazer duas coisas quando lhe dizem que seu filho tem uma doença fatal. Ou você se desmancha e vira uma poça, ou leva aquele tapa na cara e se força a erguer o rosto de novo para levar mais." 


"Mas ser mãe é completamente diferente. Você quer que seu filho tenha mais do que você jamais teve. Quer acender um fogo debaixo dele e vê-lo subir aos céus. É mais que as palavras. Mas cabe tudo direitinho aqui dentro." 


"Pode haver uma manhã em que eu acorde e o rosto dela não seja a primeira coisa que eu vejo. Ou uma tarde preguiçosa de agosto em que eu não consiga mais lembrar onde ficavam as sardas de seu ombro direito. Talvez um dia desses eu não consiga ouvir os passos dela quando a neve começa a cair.                                                                                                                                                           
Quando começo a me sentir assim, entro no banheiro, ergo a camiseta e traço as linhas brancas da  minha cicatriz."          




Leiam!
Espero que tenha gostado!


Beijinhos e até a próxima...

Snowhite J

You Might Also Like

0 comentários

Amazon

Amazon