QUANDO APRENDI QUE LEITURA ERA PARA LAZER

08:00:00




Criei o blog em 2012, quando entrei no Ensino Médio. Nessa mesma época sabia que queria passar o resto da minha vida trabalhando com livros. Nunca pensei em me formar em Biblioteconomia, meu foco sempre foi para a área Editorial, trabalhar em alguma Editora, passar o resto da minha vida lendo. O que mais eu poderia querer?

Nessa mesma época já ouvia a palavra vestibular e a importância que ele seria para a minha vida. Não sei porque raios invoquei que tinha que me dedicar ainda mais aos livros se quisesse trabalhar em uma editora de sucesso, se quisesse futuramente abrir minha própria editora. Um sonho que ainda almejo. Assim como o de abrir uma livraria e um café, e, que se desse certo, abriria uma franquia na minha cidade onde nasci e cresci. Não uma livraria, mas um sebo, que pudesse ser acessível a todas as pessoas. Outro sonho que quero realizar.

Por achar que tinha que ler tudo o que aparecia na minha frente, na época encarava a leitura como algo profissional, mas que ainda dava prazer. Então comecei a ler em todos os momentos que tinha a oportunidade. Dentre eles, fazia questão de entender a matéria que o professor estava explicando, só para resolver o exercício o mais rápido possível, só para acabar primeiro e pegar o livro para ler, ali mesmo, na sala.

Fiz isso por um tempinho, um mês ou até mais, não me recordo bem, até que fui chamada na direção da escola, dizendo que era uma atitude inapropriada. Confesso que na hora fiquei em choque, porque, normalmente, os professores querem que os alunos leiam, e não ao contrário. Explicaram que a leitura era para o lazer, que os outros alunos poderiam se sentir ofendidos com as minhas ações. Não questionei, disse que faria o que eles quisessem e, de certa forma fiz. Não lembro quanto tempo durou tudo isso.

Veja bem, nunca quis ofender nenhum colega meu, longe disso. Mas, naquele dia, não consegui explicar que para mim era mais fácil ficar enfiada com a cabeça nos livros, do que socializar com meus colegas, isso sem sofrer nenhum bullying, ser chamada de nerd, cdf, coisas que ainda me chamam, mas que não ofendem mais. Como explicar que não via que ler um livro e vir aqui falar dele como um simples ato de lazer, que, por mais bobagem que pareça para uma guria de 15 anos, era encarado de forma séria, almejando um futuro que nem sabia como seria.

Como disse acima, falei que mudaria e assim o fiz. Hoje, uns anos mais velha, consigo entender o que eles quiseram falar. Realmente, não foi a melhor forma de agir, mesmo que quisesse apenas ficar no meu canto com uma boa história. Sei que deveria continuar a ler, mas não na sala de aula. Entendi também que nem todos veem um livro pela mesma forma que vejo.

Há regras a serem seguidas, formas de agir corretas. Mas o que mais me deixou marcada foi que nesse momento percebi a forma que as outras pessoas viam os livros.

Beijos e até a próxima,
Jéssica Tolare


You Might Also Like

0 comentários

Amazon

Amazon