[PRIMEIRAS IMPRESSÕES] LACRYMOSA – JULIANA DAGLIO

02:41:00




Sinopse:
O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição.

Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha. Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas. Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus próprios demônios interiores.

Contatos: lacrymosa.jd@gmail.com
FanPage: https://www.facebook.com/autoraJulianaDaglio/
Insta: @judaglio2


Recentemente, recebi da autora as 30 primeiras páginas do livro Lacrymosa. Acompanho a Ju desde Uma canção para a libélula, por qual sou apaixonada e pelo Facebook, tanto que lembro quando ela começou a escrever Lacrymosa e postou alguns capítulos no Wattpad e da hashtag que as pessoas estavam lançando #LacrymosaNaDarkside #publicaLacrymosaDarkside, uma campanha que tem total apoio.

Agora falando da história de Lacrymosa. Nela, logo no começo, nos é apresentado uma menina do qual não sabemos nada, mas que está fugindo, aparentemente, por obrigação. Quando chega ao destino que lhe é designado, recebe um nome: Valery Green (Adoro as V's).

Então, a história dá um salto no tempo, e nos deparamos com Valery mais velha, agora é uma detetive, que está suspensa por ter matado uma pessoa para proteger outra. Escolha do qual ele teve que fazer e, agora, lidar. Mas, ela acaba entrando em um dos casos, quando seu parceiro lhe pede ajuda para resgatar uma garotinha, do qual o pai tinha matado a mãe e machucado-a, mesmo hesitando ela entra no caso. No entanto, quando encontram a garotinha, ela percebe que há algo errado nessa história e que a menina está possuída pelo diabo a qual intitula por verdadeiro mal.

Valery liga para um “velho amigo”, que na verdade, é um padre exorcista e, então, as 30 páginas se acabam, bem nesse momento crucial e ficamos com aquele desejo de querer ler mais.


Desde o prólogo, Valery fala desse mal que a rodeia, do qual há alguma ligação, que não faço ideia de como e nem qual, mas que a obrigou a fugir no meio da noite e abandonar a família, uma forma que achava que estaria protegendo-os. A partir do momento em que a história se inicia há tensão, principalmente, pelos pensamentos da protagonista, que são extremamente mórbidos. Ela diz que tem sangue nas mãos, mas descreve de uma forma que deixa o duplo sentido no ar.


O mais interesse sobre Valery é a composição da própria personagem, porque, conforme nós lemos a história, é possível notar que ela tem camadas e camadas de construção. Desde aquela adolescente, sem nome divulgado, que abandou a família, até a Valery, a detetive, que tenta afastar todo mundo. Me corrijam se estiver errada, por favor, mas parece que a autora construiu uma personagem que criou diversas camadas sobre si do qual, talvez (provavelmente/não faço ideia) levaremos o livro inteiro para desvendar, isso se conseguirmos. Um personagem complexo nunca se revela por inteiro. Seria como um quebra-cabeça que, de pouco em pouco, juntamos as peças, mas é como se as peças de alguma forma não se encaixassem. (confuso? Um pouco, eu sei)


Até o momento, o livro transpira tensão, medo. Você consegue sentir o terror, parece que ele se torna palpável. E com a escrita da Juliana, que é fluída, rápida, você passa, pelo menos as 30 páginas, em poucas horas. Infelizmente, só li as 30 páginas, mas não vejo a hora que a autora lance esse livro. Quero muito ler. Meu nível de curiosidade só aumentou.

O que vocês acharam? Deixe nos comentários!


Beijos e até a próxima,
Jéssica Tolare



You Might Also Like

2 comentários

  1. Liiiindaaa! Você captou exatamente a Valery! <3
    Construída em camadas, complexa e imprevisível. Quase morri de alegria lendo sua resenha, pois senti que já cumpri a missão de trazer a Valery ao mundo.
    Muito muito obrigada por ter lido e por sempre me acompanhar. Espero que possa ler o livro inteiro em breve <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju,
      que bom que gostou. Adoro as V's e Valery já ganhou um lugar aqui dentro. Não vejo a hora de ler a história dela por completo. Estou na torcida aqui para o livro.

      Beijos,
      Jéssica Tolare

      Excluir

Amazon

Amazon