[CAFÉ DA MADRUGADA] POEMA THE INDIAN SERENATE – PERCY BYSSHE SHELLEY

00:30:00




Oi gente, tudo bem? Estava assistindo um dos episódios de Grey’s Anatomy e foi citado um trecho de um poema, que achei muito bonito e resolvi compartilhar ele inteiro aqui. Acontece que a tradução não é tão boa assim (pelo menos as traduções que encontrei), por isso, vou deixar o trecho traduzido e o poema original. Espero que gostem

Trecho traduzido:
Levanta-me da relva, eu desvaneço, eu desfaleço, eu fraquejo.
Que seu amor chova em mil beijos em meus lábios e pálpebras pálidas.
Meu rosto está rio e branco, infelizmente.
Meu coração bate alto e forte.
Comprima-o junto ao teu, novamente.
Onde, enfim, ele irá se partir.”


Poema original:
I arise from dreams of thee
In the first sweet sleep of night,
When the winds are breathing low,
And the stars are shining bright:
I arise from dreams of thee,
And a spirit in my feet
Hath led me—who knows how?
To thy chamber window, Sweet!

The wandering airs they faint
On the dark, the silent stream—
The Champak odours fail
Like sweet thoughts in a dream;
The Nightingale's complaint,
It dies upon her heart;—
As I must on thine,
Oh, belovèd as thou art!

Oh lift me from the grass!
I die! I faint! I fail!
Let thy love in kisses rain
On my lips and eyelids pale.
My cheek is cold and white, alas!
My heart beats loud and fast;—
Oh! press it to thine own again,
Where it will break at last."

Beijos e até a próxima,
Jéssica Tolare

You Might Also Like

0 comentários

Amazon

Amazon